Header Ads

Aspectos para a prescrição de exercícios para Idosos





Olá, eu sou a Dani e esse texto fala sobre Aspectos para a prescrição de exercícios para Idosos. Antes de começar a lê-lo, siga o blog nas redes sociais: Instagram, Facebook e Twitter. Você também pode entrar nos grupos de Whatsapp ou no grupo do Telegram . Agora, vamos à leitura!




A promoção de exercício físico representa assim, uma prioridade ao nível da saúde pública, sendo necessário intervir em várias frentes: individual, familiar, cuidados de saúde, comunitária e governamental. Ao nível dos cuidados de saúde, os médicos de família desempenham um papel importante na promoção da saúde e na prevenção da doença, e portanto têm nas suas mãos a possibilidade de dar o seu contributo na resolução deste problema tão atual – a inatividade física.

No processo de envelhecimento, temos duas distinções: a senescência, que seria o "somatório de alterações orgânicas, funcionais e psicológicas do envelhecimento normal" e a senilidade, "afecções que frequentemente acometem a pessoa idosa". Os exercícios nos dois casos vêm como atividades que podem prevenir a ocorrência do aumento de alterações funcionais e estruturais do envelhecimento normal, como perda da mobilidade articular, diminuição da força, mas também nas condições patológicas como a obesidade, hipertensão, diabetes, dentre outras. Além disso, oferecem benefícios sociais relevantes como o aumento das relações sociais, diminuindo o risco de depressão, ansiedade, tristeza pela solidão e também proporcionando a manutenção da autoestima e bem-estar.

Prescrição do Exercício para Idosos baseado em Evidências Científicas.

São inúmeros os motivos pelos quais idosos não praticam exercícios físicos regulares, mesmo esses sendo um dos elementos decisivos para a melhora da aptidão física, bem-estar e da aquisição e manutenção da saúde.  Um dos aspectos mais importantes no aconselhamento de exercício físico é a discussão de estratégias para ultrapassar as barreiras mencionadas pelo indivíduo para alcançar a próxima fase no ciclo de motivação. As barreiras para a prática de exercício físico devem ser categorizadas como demográficas, socioculturais ou ambientais ou podem estar relacionadas com o próprio exercício físico. Tem sido demonstrado que a idade está inversamente correlacionada com os níveis de exercício físico e que os homens tendem a ser mais ativos que as mulheres. Também há evidência que a percepção das barreiras varia de acordo com a idade, a classe social e o nível socioeconômico.

O tipo de exercício físico, em qualquer idade e com qualquer problema de saúde, deve, sempre que não haja contraindicações, ter em consideração a motivação e as preferências dos indivíduos e ter objetivos bem delineados. Quando a pessoa a quem foi prescrito exercício físico realiza uma atividade que lhe dá prazer, há um maior empenho da sua parte, o que influencia positivamente a adesão ao plano de exercício físico proposto.

O ato da prescrição de exercício físico deve conter os seguintes itens: tipo, frequência, duração, intensidade, regularidade, progressão e personalização. Contrariando, assim, o que se faz habitualmente na prática clínica, onde apenas se aborda o tema de uma forma leve, realizando-se um aconselhamento mínimo sem regras

O tipo de exercício físico, em qualquer idade e com qualquer problema de saúde, deve, sempre que não haja contraindicações, ter em consideração a motivação e as preferências dos indivíduos e ter objetivos bem delineados. Quando a pessoa a quem foi prescrito exercício físico realiza uma atividade que lhe dá prazer, há um maior empenho da sua parte, o que influencia positivamente a adesão ao plano de exercício físico proposto. De salientar que o exercício aeróbio, fundamental em qualquer idade, é o tipo de exercício mais importante para manter e melhorar a resistência cardio-respiratória.

O número de dias por semana nos quais se deve realizar o exercício físico negociado não é indiferente. A frequência está intimamente relacionada com a intensidade e com a duração, portanto a indicação do número de vezes por semana que se deve praticar exercício físico deverá ter em consideração estes dois fatores. A frequência das sessões depende ainda da idade, dos problemas de saúde, da motivação e da disponibilidade individual de cada indivíduo.

A intensidade é provavelmente o parâmetro mais importante mas também o mais complicado. Quando se decide a intensidade do exercício físico, deve ter-se em consideração os níveis mais adequados a cada pessoa, para que a atividade seja realizada com segurança.

O Brasil passa pelo processo de transição demográfica, um dos principais fatores que influenciam na proporção de pessoas idosas na sociedade. O envelhecimento é um processo complexo e multifatorial, portanto, um melhor entendimento deste pode auxiliar na compreensão de estratégias para melhorar a qualidade de vida da população.

Para quem é profissional, não pode deixar de conhecer o Curso Prescrição do Exercício para Idosos baseado em Evidências Científicas. Clique aqui e saiba mais sobre como se aperfeiçoar nesse assunto! 

Você não pode perder:

Kettlebell, Macebell e Clubbell - Treinamento Funcional em Alto Nível
Planos de aulas e atividades para Educação Física Escolar
Educação Física em casa

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.