Novas
Loading...

Use o minivoleibol nas aulas de Educação Física




 http://blog.compartilhar.org.br/wp-content/uploads/2013/07/DSC01898_baixa.jpg
O minivôlei é uma variação do voleibol para crianças de 7 a 14 anos, muito difundida e praticada na Europa, especialmente na Itália. Toda sua estrutura é adaptada para esta faixa etária, a fim de otimizar as condições físicas e motoras e a capacidade técnica das crianças. As atividades acontecem durante 60 minutos, em turmas com até 24 alunos, onde cada equipe possui 4 jogadores. Ninguém fica parado. Uma quadra regular de voleibol é transformada em três quadras de minivôlei e o jogo tem seu início.

Características do Jogo

O minivôlei é um jogo entre equipes de quatro jogadores que se revezam no saque, com rodízio a cada vantagem. É um jogo coletivo entre duas equipes num campo reduzido medindo 12m x 5m. A quadra é dividida por uma rede com uma altura variando de 2m a 2,10m e jogado com bola especialmente confeccionada para tal.

Objetivo do Jogo

O objetivo do jogo é que cada equipe envie a bola regularmente por cima da rede para a quadra oposta, com direito de tocar a bola por três vezes, cuidando para que a bola não caia no solo de sua própria quadra.
Tanto no voleibol como no minivôlei, uma sequência de jogadas iniciadas pelo saque denomina-se rally, que é o tempo em que a bola permanece em jogo. Utilização da quadra de voleibol ou espaço para práticas corporais, dividindo-a ao meio, paralelamente à linha lateral; passar um barbante preso na altura das traves do gol, alinhado de uma extensão a outra da quadra, sobre a demarcação simétrica da divisão anterior; o barbante representará a rede do jogo.
Desenvolvimento
a bola poderá ser manipulada utilizando todas as possibilidades de movimentos relacionados com a habilidade motora "volear", ou seja, o estudante não poderá segurá-la durante a disputa do ponto no jogo.

As demais regras do jogo poderão ser adaptadas do voleibol, considerando-se as devidas discussões prévias com os estudantes.

Professor(a), não se esqueça de refletir com os estudantes sobre o que foi feito durante a aula, busque ampliar o diálogo para contemplar a proposta deste trabalho e debater sobre o voleibol em seus aspectos mais amplos: cultural, social, político e econômico.

Explique aos estudantes que todos esses movimentos aprendidos podem ser ampliados. Para isso, é necessário variar as possibilidades, como fizeram com as bexigas, por exemplo. Lembre-os também de que em diversas situações sociais podemos impor nosso ritmo, nossa forma, nosso jeito para participar da vida coletiva, por isso, não devemos cair no erro de padronizar ou buscar modelos. Explique que podemos adaptar regras para podermos participar e até mesmo recriar outras formas de jogar e que, ao brincar, estamos desenvolvendo nossas aprendizagens, capacidades e habilidades de forma integral.

Sistema de pontos por rally

Os jogos se desenvolvem em dois (2) sets de 25 pontos cada um, na forma de tie-break (sem vantagem): cada ponto é conquistado a partir do saque até o primeiro erro de uma das duas equipes. Ganha um set a equipe que primeiro atingir 25 pontos com uma diferença mínima de dois pontos em relação à outra equipe.
O resultado do jogo é dado pela conquista de 2 dois sets. Em caso de empate, organiza-se um 3º set de 15 pontos, prevalecendo a diferença mínima de dois pontos para se ganhar o set.
Principais Características:
Prática esportiva (melhoramento das condições físicas, motoras e técnicas)
Diversão (caráter lúdico) 
Sociabilidade (esporte de equipe)

Primeiro, é necessário familiarizar a criança com a bola, a quadra e a rede, ensinando as posturas básicas e movimentação na quadra; segurando, arremessando e rolando diferentes tipos de bolas (vôlei, basquete, futebol), praticando diferentes tipos de pequenos jogos para desenvolver qualidades físicas, como velocidade, agilidade, força e reação.

No mini-voleibol todos os três jogadores são atacantes, levantadores e defensores, possibilitando dessa forma a experiência prática em várias funções, fugindo, assim, da especialização pôr funções precocemente.

São ensinados os primeiros princípios táticos, como formação inicial, movimentos de acordo com as situações de jogo, cooperação com o colega, observação do oponente e posicionamento na quadra. Contínuo desenvolvimento da preparação física básica, através de movimentos rápidos na direção da bola.

A proposta metodológica em si pode ser dividida em duas fases:

1º FASE - Introdução do saque tipo tênis e do ataque para melhoria do sistema ofensivo. Melhora da manchete para a recepção de saque e da defesa para melhoria do sistema defensivo. Introdução e prática freqüente do mini-voleibol 3x3, utilizando regras apropriadas, sistema básico e táticas de ataque e defesa.

2º FASE - Introdução do bloqueio e melhoria dos fundamentos e habilidades técnicas e táticas. Ensino de diferentes variações de ataque e melhoria do levantamento e das habilidades de defesa como: queda, rolamento e mergulho.

Formação da equipe e de sistemas básicos de ataque e defesa são introduzidos com a transição para o mini-voleibol 4x4.

A transição para o voleibol normal ocorre quando todos os elementos básicos estão disponíveis depois de aprendidas as três etapas iniciais do mini-voleibol.

O aprendizado pela ludicidade vem trazendo vantagens para as crianças. Então, o minivolei é uma ótima opção para quem quer ensinar voleibol

Comente:

Espalhe no Google Plus

Sobre - Educação Físicaa

Professora de Educação Fisica, pós-graduada em Treinamento Desportivo e que tem atuação em Educação Fisica Escolar, Avaliação Fisica e Personal Trainer. Twitter: @educacaofisicaa
Postar um comentário