Header Ads

A Educação Física no Ministério da Saúde






http://www.usp.br/espacoaberto/arquivo/2002/espaco23set/ilustras/dicas01.jpg

O Ministério da Saúde possui um grupo de colaboradores, composto por diversos profissionais de saúde, que atuam no Departamento de HIV/AIDS. Neste grupo, o Sistema CONFEF/CREFs está representado por cinco Profissionais de Educação Física, que realizam análises sobre a atividade física e exercícios físicos para Pessoas Vivendo com HIV e AIDS (PVHA).

O Prof. Alexandre Lazzarotto (CREF 002537-G/RS) é um deles. Com mestrado e doutorado em Ciências do Movimento Humano pela Esef-UFRGS, o profissional coordena e integra equipes de pesquisa em HIV/AIDS no Brasil e na África, tanto na parte de treinamento físico, quanto na prevenção à infecção pelo HIV em diferentes populações.

"O meu trabalho se concentra na área de doenças crônicas e treinamento físico, se destacando, dentre elas, a AIDS. Atuo no campo de Saúde Pública, na avaliação, prescrição e monitoramento de treinamento físico para pacientes, e como docente e supervisor de estágio em hospitais, unidades básicas de saúde e centro saúde-escola", conta o profissional.

Especializada em Reabilitação Cardíaca e Atividade Física para Grupos Especiais pela FMU-SP, e Fisiologia e Cinesiologia Aplicada à Saúde pela Gama Filho-RJ, a Prof. Cristina Calegaro (CREF 000030-G/DF), que também é integrante do grupo, trabalha com reabilitação cardiopulmonar, atuando na avaliação, prescrição e monitoramento de treinamento físico para pacientes desta área.

Segundo ela, o papel do Profissional de Educação Física neste tipo de tratamento vem ganhando importância expressiva nos últimos anos.

"A doença arterial coronariana (DAC) é multifatorial, que exige a participação de diversos profissionais de saúde. Dentre os componentes da equipe deve-se destacar a grande relevância do papel do Profissional de Educação Física, ao qual é conferido um extenso e vasto campo de conhecimento sobre a elaboração de programas de treinamento, fisiologia do exercício, tipos de atividades físicas, seus componentes preventivos etc.", defende a Prof. Calegaro, que ressaltou a importância dos cursos de especialização, mestrado e doutorado para atuar nesta área da saúde.

Também fazendo parte do GT Exercícios e HIV do Ministério da Saúde, o Prof. Giovanni Nardin (CREF 010303-G/RS) é pesquisador do Laboratório de Fisiopatologia do Exercício (Lafiex) do Centro de Pesquisas Clínicas do Hospital das Clínicas de Porto Alegre-RS. Segundo o Prof. Giovanni, para atuar neste campo, treinamento e conhecimentos aprofundados são fundamentais.

"A atuação do Profissional de Educação Física com PVHA e com outros indivíduos portadores de outras doenças crônicas infecciosas requer treinamento e conhecimento específico", ressaltou o pesquisador, que se mostrou otimista quanto à importância do Profissional de Educação Física. "Tenho observado, através da significativa produção científica de qualidade no campo da Fisiopatologia do Exercício, que a atuação do Profissional de Educação Física tem avançado, cada vez mais, na área da saúde com um papel importante no âmbito da prevenção e, até mesmo, no tratamento".

Fonte


Você não pode perder:

Treinamento Funcional 200 Exercícios - Aprenda Montar Seu Treino
100 planos de aulas + 100 atividades de Educação Física Escolar
Drive Virtual de Educação Física

Tecnologia do Blogger.