Header Ads

Vitamina E, radicais livres e atividade física






http://s2.glbimg.com/vVREsf3cBbz_VIFnunDXCK4T6LZaXtLTJBybeSH18uaJvIqOgFNnlkOKP_Jr1GRmtSITbI2bOorK1oprXElcLw==/s.glbimg.com/es/ge/f/original/2012/10/18/alimentos.jpg

O exercício físico, quando realizado com a devida moderação, traz benefícios à vários sistemas orgânicos. Porém quando ultrapassa os limites fisiológicos, acarreta danos ao organismo, muitas vezes com graves consequências. Sem ultrapassar esses limites, o exercício já constitui um estresse e as essas adaptações incluem a melhora da função cardiovascular, alterações na composição corporal e pressão arterial, o aumento da tolerância a glicose e as alterações bioquímicas celulares.

A produção de radicais livres durante o exercício depende de variáveis como frequência, intensidade, tipo e duração do exercício. Em sua maioria, os estudos realizados sobre radicais livres são realizados em exercícios com predominância do componente aeróbico, visto que esse sistema de produção de energia eleva substancialmente o consumo de oxigênio e induz ao estresse oxidativo.

É também responsável pelo aumento da produção de radicais livres de oxigênio (RLO), os quais, se não forem devidamente neutralizados, podem iniciar um processo deletério nas células e tecidos, chamado de estresse oxidativo, ocasionando diversas doenças, incluindo as neuro-degenerativas, cardiovasculares, câncer e o próprio processo de envelhecimento.

Além desses problemas citados acima, pode desencadear lesão muscular pelo efeito nocivo dos radicais livres, o estresse mecânico vinculado ao excesso, é um dos mais relevantes, principalmente se resultado de exercícios musculares excêntricos. Tratam-se daqueles que vão além da capacidade do músculo de produzir energia e assim ele realiza um movimento contrário a sua ação.  Como consequência, há fadiga e perda de força que é maior do que a produzida pelos trabalhos concêntricos, movimento a favor da contração do músculo, embora estes em excesso possam trazer efeito semelhante. Isso vai prejudicar a prática da atividade física.

Para evitar o prejuízo a prática pela produção de ácido lático, evidências mostram que a suplementação de vitamina E protege os tecidos dos danos causados pelo estresse oxidativo oriundos do exercício físico, além de diversas patologias. Na revisão que aqui se apresenta demonstra-se o uso de suplementação com Vitamina E em alguns estudos realizados na área esportiva. Há muito tempo se conhecem os efeitos benéficos do exercício físico regular, importante no tratamento de diferentes patologias, como o diabetes, cardiopatias, doenças pulmonares, e além disso, melhora o perfil lipídico do plasma, aumenta a densidade óssea e auxilia no tratamento da obesidade. Entretanto, os benefícios do exercício podem ser superados pelo excesso ou falta de treinamento.
Com ajuda daqui


Você não pode perder:

Treinamento Funcional 200 Exercícios - Aprenda Montar Seu Treino
100 planos de aulas + 100 atividades de Educação Física Escolar
Drive Virtual de Educação Física

Tecnologia do Blogger.