Header Ads

Não é o ácido lático que provoca dor após os exercícios






http://www.megasaudavel.com.br/wp-content/uploads/2014/05/mega_saudavel_acido_latico-640x480.jpg

Lembro que quando eu entrei na faculdade de educação física, lá no meio da década de 90, tinha a certeza que a dor que sentia pós-exercício era por causa do acumulo do ácido lático na musculatura.

Na verdade, de lá para cá, descobriu-se que quando o praticante realiza mais exercícios do que está acostumado ou condicionado a fazer, não tendo oxigênio o suficiente para suprir esta necessidade, o seu organismo queimará a glicose sem aporte de oxigênio.

Você precisa de combustível para a realização de exercícios. Esse combustível é fornecido através de uma via chamada glicólise, quebrando carboidratos que é estocado na forma de glicogênio, produzindo, assim, um composto de alta energia chamado ATP. O ATP é então dividido, liberando energia e outras moléculas, incluindo o hidrogênio, ao longo de seus músculos. Esses íons causarão as dores do seu treino. Quando o hidrogênio se acumula em seus músculos, provoca uma queda no pH do seu corpo,  tornando-o mais ácido e interferindo na capacidade de suas fibras musculares contraírem. Por conta disto, você sente uma “queimadura” na musculatura e acaba reduzindo o desempenho no exercício.  Além do hidrogênio, a glicólise produz um subproduto chamado piruvato, que pode também auxiliar no armazenamento de íons de hidrogênio nos seus músculos e consequente formação de lactato, que tem como objetivo deixar o pH constante sem elevar muito a acidez. Nem sempre o piruvato acaba com os íons de hidrogênio rápido o suficiente a ponto de ele não estocar no músculo, ou seja, você pode ter uma sensação de fadiga causada por este hidrogênio que vai reduzindo aos poucos dentro de minutos a horas após o treino.


A queimação que a gente sente enquanto se exercita é eliminada muito rapidamente quando é causado por esses ions de hidrogenio. Ele é removido do sangue e dos músculos durante a recuperação após um exercício exaustivo. Em geral, são necessários 25 minutos de repouso-recuperação para remover a metade dele acumulado e que seria responsável apenas pelas sensações imediatas, durante e logo após a atividade

Durante um exercício submáximo, porém árduo, no qual o acúmulo não é tão grande, será necessário menos tempo para sua remoção durante a recuperação. 

Ele é mais velozmente removido se a recuperação ativa em baixa intensidade for empregada após o exercício, do que se o indivíduo permanecer em repouso (inativo) logo após o exercício.

As dores musculares pós-exercício, provavelmente, ocorrem devido à inflamação decorrente de lesões microscópicas nas suas fibras musculares. Nada de ácido lático/lactato/ions de hidrogenio.
 
Até a próxima!

Referências Bibliográficas:

  1. FoxNews.com
  2. Janet Hamilton, C.S.C.S. – Fisiologista do Exercício do Running Strong (Atlanta).


Você não pode perder:

Treinamento Funcional 200 Exercícios - Aprenda Montar Seu Treino
100 planos de aulas + 100 atividades de Educação Física Escolar
Drive Virtual de Educação Física

Tecnologia do Blogger.