Header Ads

Resumão sobre Spinning






O Spinning, também chamado de Ciclismo Indoor, surgiu no final dos anos 80 nos EUA como forma de variar a forma convencional do pedalar numa bicicleta estacionária, assumindo com maior eficiência as alterações das componentes essenciais de uma actividade física que seriam: a frequência cardíaca (FC), velocidade, intensidade, tempo e motivação.

O Spinning é uma aula de ciclismo feita em grupo, praticada inteiramente com a ajuda de uma bicicleta ergonómica desenhada especialmente para a modalidade que lhe permite facilmente ajustar a resistência da bicicleta ao seu próprio nível de treino. Ao praticá-lo você naturalmente entra num programa individualizado, obtendo um alto gasto calórico (emagrece com eficiência), fortalecendo a musculatura dos membros inferiores e ganhar uma óptima melhoria de VO2 máx (condução cardiorespiratório) que pode prepará-lo também para outras actividades.

Os exercícios simulam vários tipos de percursos de bicicleta, como subida e descida de montanha e pedaladas em terreno plano e em paisagens diversas (depende da criatividade do professor). Na bicicleta existe um nivelador de carga, como se fosse uma bicicleta de corrida comum, onde cada pessoa controla o ritmo de acordo com a sua resistência.

O Spinning (vem do inglês, acto de girar ou pedalar) é um método de treino intervalado, onde o objectivo principal é melhorar a condição cardiovascular, através do controlo da FC, seguido pela redução da percentagem de gordura através da redução de aproximadamente 400-600 calorias, variando de acordo com o indivíduo.

Mesmo sendo o Spinning uma actividade intensa e de alto gasto calórico, é considerada segura, desde que o indivíduo respeite as normas de segurança, durante as aulas. Para que isso ocorra é necessário que o indivíduo saiba os seus limites máximos e mínimos da FC de treino, através do teste de esforço na Avaliação Física.
Durante as aulas deve-se observar a sua Zona Alvo de Treino individual, Tabela Subjectiva de Esforço e o professor deve estar atento às expressões faciais do aluno, ele deve parecer cansado e não a morrer. Caso o aluno apresente o rosto pálido, lábios esbranquiçados, aparência de extremo cansaço, descoordenação nas pedaladas, deve ser alertado pelo professor para diminuir a sua intensidade de esforço. Além disso, o indivíduo deve apresentar boas condições articulares e musculares numa Avaliação Fisioterapeuta.

As aulas têm duração de 40-60 minutos, onde são simuladas manobras próprias do ciclismo com rectas, subidas, descidas, variações de terreno, jump, running e mix. Ao som de músicas seleccionadas e apropriadas, o professor conduz a aula, procurando a melhor performance do aluno. À medida que vão pedalando, os praticantes são inspirados a fazer coreografias com os braços ao ritmo da música, ou até mesmo criar por si mesmos.

Gasto Calórico Durante a Aula

Aproximadamente, são gastas 475 calorias por aula de spinning de 40 minutos de duração . Este valor foi determinado numa pesquisa feita com 6 indivíduos com diferentes capacidades de VO2 max, ou seja, vários níveis de condição física . E foi notado, que à medida que o VO2 max subia, o gasto calórico também subia durante as aulas.

Lesões mais Comuns no Spinning

As lesões mais encontradas nos praticantes de spinning, são resultantes da má preparação da bicicleta pelos alunos para a aula ou de movimentos errados durante a mesma.

Qualquer pessoa pode participar numa aula de Spinning desde que esteja bem de saúde, não tenha problemas ortopédicos ou posturais (as contra-indicações são, especificamente, para quem sofre de problemas de joelho e região lombar. Estes problemas podem ser agravados se houver uma pré-disposição do aluno para tais problemas, assim como o mau uso das normas de segurança e da bicicleta.). Sendo obrigatório estar actualizado com os seus testes ergonómicos (procure o seu cardiologista, para um atestado, se necessário).

 Ajustar a Bicicleta

Antes da aula, é necessário alguns ajustes na bicicleta em que vamos treinar. A altura do selim ideal é a que permite uma flexão de joelho de 25 a 30 graus quando o pedal está no nível mais baixo. Basta ficar em pé ao lado da bicicleta. A cabeça do fêmur deverá ficar à altura do selim. O ajuste horizontal é feito medindo um antebraço do selim para o guiador. Se o selim for muito alto vai forçar a coluna, se estiver muito baixo os joelhos sofrerão.

Os pedais têm boa segurança para possibilitar o movimento nos 360º em equilíbrio, a solicitação dos músculos agonistas e antagonistas proporcionam um treino muscular harmónico. O aluno ao sentar na bicicleta deve observar, se os pés estão bem fixos e se o início do dedo do pé está sobre o eixo do pedal. Pedalar com a ponta dos pés sobrecarrega os gémeos (músculos gastrocnêmios) e se o eixo do pedal estiver no meio dos pés a sobrecarga será nos músculos da frente da perna (tibiais anteriores).

O guiador, deve ser regulado na mesma altura do selim permitindo conforto ao tronco e membros superiores nas diversas manobras da aula, se ficar muito baixo, pode sobrecarregar a coluna.

Musculatura Utilizada

Os músculos mais exigidos durante o Spinning são os membros inferiores. Entre eles estão os gastrocnêmios, Ísquiotibiais (posteriores de coxa), Vastos Laterais, Rectos Femurais e Glúteos máximos. Os praticantes também fortalecem muito a musculatura da região lombar e abdómen com diversas manobras de sentar e ficar em pé no banco da bicicleta.


Você não pode perder:

Treinamento Funcional 200 Exercícios - Aprenda Montar Seu Treino
100 planos de aulas + 100 atividades de Educação Física Escolar
Drive Virtual de Educação Física

Tecnologia do Blogger.